Viver > Planos de Ação para o Controlo de Pragas

Planos de Ação para o Controlo de Pragas

VESPA ASIÁTICA (Vespa velutina)

A vespa velutina (vespa velutina nigrithorax), também conhecida como a vespa das patas amarelas, é uma espécie originária da China, do Afeganistão, da Indochina e da Indonésia.
É essencialmente um predador de outras vespas e de abelhas. Constitui uma das pragas da colmeia, na medida em que consegue dizimar todas as abelhas de uma colmeia.
No entanto, não é fonte de transmissão de nenhuma doença às abelhas, assim, como não é considerada mais perigosa para os seres humanos do que a vespa europeia.

Como reconhecer a vespa asiática. Principais Características da VESPA:
Vespa de patas amarelas;
Predominantemente preta;
Faixa laranja larga no abdómen;
Faixa amarela no primeiro segmento;
Mede entre 1,7cm a 3,2cm;
A rainha pode ter 3,5cm;

Ciclo Biológico da Vespa asiática:
Ciclo anual (ninho dura 1 ano)
O ciclo é dividido em dois períodos:
– Um primeiro período para a rainha fundadora (Fevereiro a Abril);
– E um segundo período de tempo para o crescimento da colónia (Abril a Novembro).
Dezembro saem as fundadoras do ninho, são fecundadas e hibernam.
Fevereiro as fundadoras saem do abrigo e começam a fazer o ninho primário.
A partir de abril iniciam os ninhos secundários.

Medidas de combate / controlo de vespa asiática:

  • A colocação de armadilhas preventivas deve ser evitada ou executada pontualmente com o intuito de detetar a presença da vespa numa determinada região, na medida em que provoca efeitos colaterais noutras espécies;
  • Em função da localização, dimensão dos ninhos e atividade dos insetos, vários métodos podem ser utilizados para a destruição dos ninhos:
    – Aplicação de inseticida;
    – Incineração;
    – Congelação.

Recomendações caso detete a presença de ninho ou exemplares de vespa asiática:

  • Deverá fotografar, se possível, a vespa ou o ninho;
  • Contactar com a Linha SOS AMBIENTE (808 200 520), na qual será informado do procedimento a seguir para efetivar a comunicação da suspeita de vespa velutina ou ninho;
  • Comunicação via Smartphone (APP SOS-Vespa – www.sosvespa.pt/web);
  • Preenchimento de um formulário – Anexo I – e envio para a Câmara Municipal ou Junta de Freguesia da área onde ocorreu a observação;
  • Comunicar a situação à Câmara Municipal da área correspondente ao local de suspeita, a qual remeterá a situação para os Serviços Municipais de Proteção Civil;

Para ajudar na identificação e evitar a confusão com espécies autóctones, disponibilizam-se as fichas de identificação elaboradas pelo Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF):

Disponibiliza-se o Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa velutina em Portugal, com vista à segurança dos cidadãos, à proteção da atividade apícola bem como à minimização dos respetivos impactos sobre a biodiversidade.

Ponto de Situação no concelho de Resende:

  • Ano de 2018 – 125 ninhos destruídos.